Eu não pedi por isso

Eu não pedi por isso e certamente não queria que nada disso tivesse acontecido. Você parece não sair da minha mente e por mais que eu saiba que não combinamos em nada, te quero mais do que qualquer coisa. Ainda não sei o que é isso exatamente. Mal sei dizer se não estou sendo idiota demais por acreditar em uma única palavra sua. Estou me escondendo atrás das paredes do meu coração, correndo sem saber pra onde e tentando fechar a porta. Já te deixei entrar mas ainda não sei como reagir a isso. Não vejo nada a frente, nada em que possa me segurar. Quando preciso de você, você nunca está lá para apertar minha mão. Talvez você saiba que eu já não posso parar, que já viciei demais em você. Não há como piorar. Você diz que eu me descontrolo e que talvez as coisas não são como eu veja. Mas não acho que seja coisa da minha imaginação. 
Não procurei por ti, não pedi isso. Não preciso de você pra me magoar porque já existem coisas demais pra me arrancarem lágrimas e se elas caírem quero que sejam de alegria. Eu já perdi o controle, nunca me senti tão sozinha como quando você se afastou de mim. Eu estava bem até você aparecer. Então, me responda o que foi que você fez? O que foi que fez pra me deixar desse jeito? O que fez pra mim? Está escuro agora e não consigo enxergar um caminho que me afaste completamente de ti. Sou tão confusa que não sei exatamente o que estou fazendo. Olhe o que você fez, pense que tudo poderia ter sido diferente mas não foi. A culpa não foi minha como você pensa. Eu não te chamei, eu não te procurei e não te pedi por isso. Quero deixar meu coração na porta e sentir só o que precisa ser sentido. Não quero alimentar mais sentimentos, sentir mais essa malditas dores quando você me magoar. 

Não direi mais nenhuma palavra se isso não faz nenhuma diferença pra você. Podemos parar de fingir, deixar tudo as claras e entender que isso é muito mais simples do que pensamos. Não me interprete mal, não posso saber o que vai acontecer amanhã mas tudo que eu peço é que se essa for nossa última noite juntos que me abrace como se nunca tivéssemos nos abraçado. Que me beije como se só o meu beijo fosse especial pra você. Me pegue pela mão enquanto me aninha cada vez mais pra perto de você. Me trate como se fossemos mais do que somente amigos. Me deixe as últimas lembranças boas, me deixe tudo que puder e restar de bom.No final, só preciso das coisas que me fazem sorrir. Eu não pedi por isso e não pedi por essas lágrimas que invadem minhas noites.

Resenha de Livro: Nunca Jamais

Livro: Nunca Jamais
Autores: Colleen Hoover e Tarryn Fisher
Ano: 2016
Páginas: 192
Editora: Galera Record
Nota: 5 de 5

Terminei esse livro muito rápido até porque o mesmo é bem fininho e a escrita flui tão bem que as páginas voam de um modo assustador. Eu sou super hiper mega fã assumida da Colleen Hoover e claro que quando vi esse livro rodando por ai tive que inclui-lo em minha lista. Não conhecia o trabalho da Tarryn Fisher e eu gostei pra caramba do que li. Vamos falar primeiro do enredo? A história começa beeem confusa já que Charlie, uma das personagens principais, acorda no meio da sala de aula sem saber onde está, quem é, quem são aquelas pessoas. Resumindo: Ela não sabe nada, nadinha, nadica. Isso é bem desesperador pra qualquer pessoa né? Pois é. Charlie fica ali tentando entender tudo, tentando interagir com tudo ao seu redor sem entender sem nenhuma pista de nada. Ao decorrer dos fatos, ela descobre que é namorada de um garoto chamado Silas, que parece muito desconfortável assim como ela. O que estaria acontecendo? Até que Silas confessa que também não sabe quem é e nem faz a mínima ideia do que está acontecendo. E agora?? O que fazer? A quem procurar? Os dois ficam sem ação mas resolvem se juntar para tentar descobrir mais sobre um e o outro e se ajudar. Só que conforme vão desconbrindo isso, acontecimentos se desenrolam e segredos de que eles nem se lembram são revelados. Como lidar com tudo quando se agia de um jeito mas você não tem nenhuma recordação e nem ao menos sabe o motivo de ter agido daquele jeito? 

O livro é super fininho e termina de uma forma que te dá um acesso temporário de raiva. Mas respire. O livro tem continuação. TINHA que ter. Achei incrível a forma que a história foi desenvolvida e como foi contada de uma forma envolvente com meios tão interessantes.
As autoras conseguiram explorar os pontos certos nesse primeiro livro sem deixar nada a desejar. Os personagens são apaixonantes juntos. Silas e Charlie são cativantes e combinam muito com o outro. A história também traz consigo uma reflexão sobre nossos atos e as coisa que acontecem quando não valorizamos quem está do nosso lado. Recomendo muito a leitura. Estou mais do que ansiosa para o próximo.

Charlie Wynwood e Silas Nash são melhores amigos desde pequenos. Mas, agora, são completos estranhos. O primeiro beijo, a primeira briga, o momento em que se apaixonaram... Toda recordação desapareceu. E nenhum dos dois tem ideia do que aconteceu e em quem podem confiar.Charlie e Silas precisam trabalhar juntos para descobrir a verdade sobre o que aconteceu com eles e o porquê. Mas, quanto mais eles aprendem sobre quem eram, mais questionam o motivo pelo qual se juntaram no passado.

Indicação de Seriado: GLEE

Série: GLEE
Gênero: Comédia, Musical, Adolescente
Data de Lançamento: Maio de 2009
Temporadas: 6
Canal de Exibição: FOX
Status: Finalizada
Criada por: Ryan Murphy, Brad Falchuk e Ian Brennan 
Nota: 3,5de 5

A primeira coisa que você deve estar pensando " Cyh, só agora você veio falar dessa série? Já acabou tem um bom tempo" Sim, eu sei disso. Mas antes que você me condene um pouco mais vou me explicar. Quem me acompanha por aqui sabe que eu AMO de paixão assistir seriados e filmes, mas são MUITAS opções. E pra acompanhar, indicar e assistir todos é bem difícil conciliar com a vida normal. Confesso que há algum tempo atrás já tinha assistido um ou dois episódios aleatórios de GLEE, e infelizmente a série não caiu nas minhas graças. PASMEM. Isso aconteceu com algumas séries , filmes e até músicas que eu já até falei aqui no blog, no qual de primeira eu não curti mas ao dar uma segunda chance eu curti e foi isso que aconteceu. Bom, eu sei que a maioria de vocês saiba do que se trata o enredo da série vou resumir pra vocês. O enredo gira em torno do clube GLEE, um grupo de pessoas que gostam de fazer arte, expressando suas emoções e momentos dançando ou cantando. O clube é considerado um fracasso pela escola e quando Will Schuester, o professor de Espanhol resolve assumir o controle do grupo ele tem o desafio de transformar aquele grupo ruim em um grupo vencedor dos campeonatos de corais. E o desafio é grande. Ele precisa elevar o nível do grupo, conseguir novos alunos pra entrar e lidar com os obstáculos impostos por Sue, a treinadora das líderes de torcida. Dai em diante os episódios são focados diretamente nos membros do grupo, e alguns personagens da escola explorando cenários e dramas adolescentes como o que ser da vida, se assumir pra todos, ser quem você realmente é e seguir seus sonhos.

Confesso que em muitos episódios e em muitos momentos achei a série bem BOBINHA e bem infantil também. Várias vezes me peguei pensando" Sério que isso está acontecendo?" e foi bem irritante em alguns episódios. Alguns personagens te cativam mais outros nem tanto mas é evidente que a série tem seus pontos altos e baixos independente das mudanças que vão acontecendo durante a troca de temporadas. O que mais impressiona em GLEE com certeza é o elenco cheio de atores talentosos que te deixam de boca aberta. Seja cantando ou dançando, o seriado aposta muito bem no gênero musical e muitas vezes me lembrou de HSM da Disney. As músicas colocadas durante os episódios muitas vezes expressam e condizem com os acontecimentos e sentimentos expostos durante o desenrolar da história o que deixa tudo muito interessante. Seja homenageando um artista de um jeito bem particular ou do jeito deles mesmo, a série manda bem e muito bem no quesito música. Além disso, o lado série adolescente não deixa de se apoiar em dramas como gravidez precoce, Homossexualidade, Preconceito, Futuro Profissional, Primeira vez e outros milhares de assuntos que são colocados durante a história. A série é boa, tem inúmera participações especiais mas como eu disse ali em cima em alguns desses momentos pode parecer extremamente boba, mas recomendo que você continue assistindo mesmo assim GLEE compensa com os excelentes números musicais de vários artistas, uma preparação linda e muitos talentos sendo revelados. Você vai amar alguns personagens e não gostar tato de outros mas com certeza vai cantar junto em algum episódio.  Falando de algumas curiosidades do seriado o ator Cory Monteith faleceu em Julho de 2013 confirmado depois de investigação por suicídio. Todo mundo ficou muito abalado com isso na época principalmente a Lea Michele que interpretava a Rachel fazendo par com ele, já que a mesma namorava o ator na vida real. Na época a cantora, deu um discurso emocionante em uma premiação sobre a perda de Cory e foi bem triste.

Um dos episódios que mais deu audiência para o seriado foi o Britney/Brittany o segundo da segunda temporada no qual os personagens homenageavam a cantora pop Britney Spears. O episódio foi visto por mais de 13 milhões de pessoas, batendo o recorde da série. O mesmo também conta com a participação da mesma. O sucesso de deveu as coreografias muito bem feitas, a caracterização de uma das personagens baseada em alguns videoclipes da cantora. Isso se repetiu na 4 temporada, no segundo episódio onde temos um novo episódio homenageando a cantora Britney mas de uma forma diferente. Além de Britney, muitos artistas foram homenageados durante os episódios como Lady Gaga, Beyonce, Katy Perry, músicas de Kelly Clarkson, Fergie e outros artistas e atuais e do passado foram lembrados na série. Mais uma curiosidade da série é que dois personagens já participaram mesmo de musicais da Broadway. Todos os cantores cantam e dançam as músicas, então o que você ouve na série vem dos próprios e isso é muito mais legal. Então se você gosta de uma série que mistura música, sonhos, dramas adolescentes, romance e um pouquinho de comédia misturado com bobeira e sarcasmo vai AMAR essa daqui. Recomendo de coração
O professor de espanhol Will Schuester (Matthew Morrison) resolve comandar o coral da escola, Glee Club. Tentando dar nova vida ao grupo, ele procura diferentes alunos, populares e nerds, como Rachel Berry (Lea Michele), Kurt Hummel (Chris Colfer), Finn Hudson (Cory Monteith), Quinn Fabray (Dianna Agron) e Brittany Pierce (Heather Morris). Schuester tenta equilibrar a sua vida pessoal, enquanto ensaia com os seus novos alunos, mas logo começa a enfrentar as armadilhas da treinadora Sue Sylvester (Jane Lynch).

Resenha de Livro: Tá gravando e agora? da Kéfera Buchmann

Livro: Tá Gravando e Agora?
Autora: Kéfera Buchmann
Ano: 2016
Páginas: 112
Editora: Paralela
Nota: 3 de 5

Recebi esse livro em parceria com o grupo Companhia das Letras e estava bem curiosa pra saber do que se tratava exatamente o assunto. Acho que todo mundo conhece a Kéfera então ela nem precisa de apresentação. Após o sucesso do primeiro livro que vendeu mais de 400 mil unidades, a youtuber lança mais um livro dessa vez voltado para o mundo do Youtube. Em seu novo livro, Kéfera dá dicas de como criar vídeos, dicas simples, como ela começou seu canal e mais alguns tópicos relacionados a gravação e colocar vídeos na internet. Quem acompanha o blog sabe que eu recebi o primeiro livro também em parceria e até que gostei muito do que foi apresentado.
Infelizmente isso não aconteceu com esse livro. O livro é bem fino e com fotos da Kéfera e aquela diagramação maior em certas páginas.  Como é bem óbvio a Kéfera dá dicas de canal, de como começar usando suas próprias experiências. Desde a criação, o nome do canal, o desenvolvimento do conteúdo, ideias para gravar, dicas pessoais, críticas e mais coisas que você precisa saber ou pelo menos ter noção para ser youtuber.
Eu adoro a Kéfera, acompanho ela tem um bom tempo e esse livro infelizmente não foi o que esperava. 112 páginas de um livro que não acrescenta muita coisa. A linguagem engraçada e até irônica da Kéfera permanece, mas não o suficiente para que o livro ficasse totalmente interessante. As dicas e conselhos citados dentro do livro até que são bacanas, mas nada que você já não saiba ou tenha lido ou visto em algum lugar. O que me irritou um pouquinho foi o excesso de palavras grandes, páginas vazias, fotos e pouca escrita. Uma das coisas bacanas do livro são as dicas de confiança, de ser você mesmo e buscar aquilo que acredita crendo que tudo tem um tempo pra acontecer. Isso pode servir pra vários aspectos da vida.
De um modo geral, se você diminuir a fonte do livro, retirar as fotos e páginas vazias e colocar tudo de um modo contínuo o livro seria extremamente reduzido. Eu queria dizer que o livro é mais bacana do que foi apresentado pra mim, mas isso não aconteceu. Me parece que esse livro em si é apenas um produto para os fãs da Kéfera consumirem. Claro que eu não esperava algo super inovador até por ser um livro mais voltado pro entretenimento, porém o livro em si não ajuda muito e não cumpre tanto seu propósito. Fiquei pensando comigo mesma e se fosse eu no lugar teria escrito o mesmo em uma semana. Pouca coisa distribuida com diagramação boa, fontes grandes, fotos espalhadas e pouco conteúdo de fato. Eu não odiei o livro, mas não foi uma das melhores leituras. Li o livro em 2 horas e isso me frustrou pra caramba. Kéfera é uma das youtubers que mais gosto porém acredito que esse livro não dê tanta perspectiva no assunto de Youtube, mas é algo consumível pelo público e admiradores da Kéfera.








Ela está de volta. Depois do seu primeiro livro, Muito Mais que 5inco Minutos, Kéfera Buchmann publica Tá gravando. E agora?, novamente pela Editora Paralela. Nele a youtuber mais conhecida do Brasil conta como seu canal, 5incominutos, surgiu, revelando detalhes até então inéditos. Kéfera relembra como foi gravar o primeiro vídeo, as inseguranças que surgiram e como ela conseguiu superar os obstáculos para, aos poucos, ir conquistando milhões de fãs. Ela ainda tenta responder a pergunta que mais ouve dos seus seguidores: "Como eu faço para fazer o meu canal de Youtube dar certo?". Não, não existe uma fórmula mágica, mas Kéfera dá várias dicas úteis que podem ajudar os aprendizes de youtuber. Muitas das dicas servem não só para quem quer brilhar na internet. Kéfera fala de como melhorar sua criatividade de maneira geral na vida, sugerindo até exercícios para isso. De bônus, Tá gravando. E agora? traz depoimentos emocionantes de kélovers (como os fãs dela são conhecidos), que contam como Kéfera influenciou suas vidas.
" Aceite as pessoas são cruéis, na Internet são duas vezes mais Esteja preparado para ouvir as piores coisas e ter dedos apontados pra você pelas razões mais absurdas. Você precisa aceitar que vai receber críticas"

"No começo vai ser dificil e talvez seu canal não dê certo. Você precisa ter isso em mente para não ficar deprimio caso tudo dê errado. Como eu já disse outras vezes, você sempre pode recomeçar. Vai ver seus vídeos não bombaram porque não era pra ser"

" Fazer autocrítica segura o seu ego, impedindo você de se achar um gênio por qualquer merda e virar um completo imbecil. Por outro lado, autocrítica em excesso pode funcionar como uma bela rasteira de sua criatividade"

"Ter sua própria identidade também significa mostrar seu jeito. Algo original. "

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.