Filme: Naomy & Ely e a Lista do Não Beijo

Filme: Naomy & Ely e a Lista do Não Beijo
Título Original: Naomi & Elys No Kiss List
Gênero: Comédia, Romance
Duração: 1 hora e 29 minutos
Baseado no livro de mesmo nome dos autores Rachel Cohn e David Leithman.
Nota: 2 de 5

Esse filme tinha tudo pra parecer uma boa indicação porém me decepcionei bastante com o desenvolvimento do mesmo. Até assistir o mesmo não sabia que o filme era baseado em um livro que eu já até tinha ouvido falar por ai. Posso começar dizendo que esperava MUITO, MUITO mais de tudo. Não sei como é o desenvolvimento do livro e nem se o filme foi seguido a risca pelo livro porém a história deixou muito a desejar. Mas calma, vou explicar tudo isso. O enredo do filme obviamente foca em Naomi e Ely que desde sempre foram melhores amigos. Eles saem, fazem tudo juntos e dividem segredos.  Com o intuito de preservar essa amizade os dois criaram uma lista de garotos, que ambos acham atraentes e que nenhum dos dois não pode ficar nem estar de olho. Essa lista até que funciona bem até acontecimentos mudarem sua amizade. 

O primeiro ponto fraco do filme foi Naomi nutrir um sentimento além de amizade por Ely que é obviamente é gay e não tem nenhuma atração por mulheres. Sinceramente, não conseguia compreender porque a menina gostava dele desse jeito sabendo que ele nunca olharia pra ela daquela forma. Segundo ponto falho, Naomi é destacada como linda, desejável e atraente rodeada de caras que querem ficar com ela e ela ainda sim nutre algo pelo amigo gay que ela sabe que é assim desde que se conhecem? Ficou muito sem sentido isso. Terceiro ponto, ela namora( quer dizer meio que não namora, fica mas enfim) um cara que nem ao menos gosta direito e quando seu melhor amigo acaba acidentalmente ficando com esse cara que descobre gostar de homens (what?) ela fica brava, muito brava e a amizade dos dois se abala. Quer dizer que a amizade dos dois é colocada a prova por um carinha que ela nem gosta. Tudo bem que sendo melhor amigo dela e por terem um acordo isso seria uma grande sacanagem mas mesmo assim os elementos, colocados dentro do desenvolvimento do filme não ficaram legai o que fez com que o mesmo se tornasse bobo e um pouquinho sem sentido em muitas ações dos personagens. Eu já disse por aqui que gosto muito do trabalho da Victoria Justice o que é super verdade, mas o filme deixou MUITO a desejar. O final até que é aceitával já que os dois se entendem e percebem coisas que eram muito óbvias desde o começo. Esse é um daqueles que se pega pra assistir em uma tarde de tédio e mesmo assim fica muito sem compreender alguns desenrolamentos da história. Naomi e Ely não tem nada demais e o filme fica bem abaixo da média. Se você está procurando algo super interessante, esse filme talvez não vá atender suas expectativas. Se você quer algo pra passar o tempo, pode ser uma boa opção. Se liga que tem a participação da Monique Coleman que fez HSM no filme.


Naomi e Ely sempre foram melhores amigos. Eles saem, se divertem e passam o tempo todo juntos, mas um romance nunca entre eles acontece por uma razão óbvia: Ely é gay. A dupla decide estabelecer uma "no kiss list", ou seja, a lista de homens que nenhum dos dois podem beijar, para não estragarem a amizade. O sistema funciona bem, até o dia em que Naomi e Ely se apaixonam pelo mesmo rapaz.


Resenha de Livro : A Tentação de Lila e Ethan

Livro: A Tentação de Lila e Ethan
Autora: Jessica Sorensen
Ano: 2015
Páginas: 376
Editora: Geração Editorial
Nota: 5 de 5

Eu já tinha adorado a leitura dos dois livros envolvendo Ella e Micha e com esse aqui a coisa não foi diferente. Se você não sabe do que se trata não tem problema. Esse livro aqui não depende totalmente da leitura dos outros para que a história seja contada. Lila e Ethan são os melhores amigos de Ella e Micha respectivamente. Apesar de terem aparecido nos dois primeiros livros, agora o casal tem um livro só pra eles. Nessa obra podemos conhecer melhor os dois, seus respectivos passados, suas famílias, os jeitos de ser e é claro a inegável atração que existe entre os dois. 

Lila é uma jovem bonita, atraente, rica e certinha que vive constantemente sendo criticada por sua família. Seus pais mal se importam direito com a garota e visam somente a imagem e a beleza da mesma, humilhando e criticando Lila o tempo todo. Quando ela resolve se mudar para Las Vegas para fazer faculdade sua vida sai do controle. São compras sem limites, sexo casual sem sentimento e muitas festas desconhecidas. Um vazio cada vez maior dentro dela que não se preenche de nenhuma forma. Ela simplesmente não liga. Lila vai se autodestruindo cada vez mais e ficando dependente de remédios que a deixam descontrolada e sem noção do que está fazendo.

Do outro lado tem Ethan. O melhor amigo da garota que teve uma realidade completamente diferente da dela. Lidando com problemas familiares antigos e um sentimento passado por London, uma garota problemática que o levou a caminhos obscuros e que fez despertar nele um sentimento que ele até então achava que era amor. Os dois constroem uma amizade baseada em regras de não se envolverem um com o outro apesar de flertarem muitas vezes e não conseguirem ignorar a atração forte que paira sobre os dois. Ethan fica cada vez mais preocupado quando tem que salvar Lila de mais encontros casuais e festas onde a garota nem tem noção de onde está. Quando tudo começa a sair do controle, Ethan acredita que é seu dever ajudar Lila a se ajustar e encontrar um caminho melhor do que está. Mas como fazer isso com a atração maior que eles? E como lidar com isso ignorando o passado que o perturba e insiste em voltar a tona? 

Desde a primeira página eu me encantei pela Lila. Quem me conhece bem sabe que eu bem AMO um livro de romance new adult com drama, dores e romance e é isso que acontece nessa história. Jessica Sorensen conseguiu construir um romance a base de dores reais explorando bem os sentimentos dos personagens de ambos os lados, com seus medos, seus pensamentos e seus passados obscuros. A narrativa começa com Lila descrevendo os acontecimentos com apenas 14 anos, dando uma pequena noção de como eram seus pais e seu ambiente familiar. E que tristeza. Meu coração apertou dentro do peito muitas e muitas vezes com a narrativa. Acho que me identifiquei fortemente com o sentimento de frustração por ser muito criticada e sempre se esforçar pra fazer as coisas pra certas pessoas e nunca estar bom o suficiente. Me contive pra não derrubar lágrimas logo no começo do livro. Ethan por outro lado, dá um pouco de noção ao leitor sobre seu relacionamento com a garota problemática London e um pouco de sua família. Os dois são jovens quebrados, com dores que não sabem lidar por medo de deixarem essas mesmas dores afetarem suas ações presentes.

Não tem como não simpatizar com o livro. A narrativa flui muito fácil, e a escrita é extremamente gostosa. A autora te faz ansiar por mais da história e cativar com as dores dos personagens. Está tudo ali bem escancarado. Ela expõe os sentimentos e as dores dos dois de uma forma aberta e clara. O relacionamento deles é um pouco complicado já que Ehtan cuida muito de Lila e mesmo sentindo o fogo da atração entre os dois, ambos negam muito o que acontece por vários motivos. Acredito que isso deva irritar muita gente que leu o livro, pois são diversos momentos em que os dois flertam, jogam indiretas, se pegam e depois se afastam continuando a amizade e fazendo sua mente dar um grande nó. Mas conforme os fatos vão acontecendo e você vai entendendo melhor os problemas dos dois, você consegue perceber certas atitudes. A vontade de cuidar da Lila e ajuda-la é enorme  assim como o Ethan. Eles são personagens extremamente frágeis que precisam da ajuda um do outro. Lila tem dores, inseguranças e problemas que eu me identifiquei muito em algumas situações diferentes que vivenciei mas o sentimento foi igual o da personagem. E que coisa linda essa sensação do Ethan de querer proteger, de mostrar que ela era muito mais do que ela pensava, de acreditar, de lutar e de insistir. Isso me comoveu em diversos momentos. É raro encontrar alguém que se preocupe desse jeito e que acredite mais em você do que em você mesmo. Os dois se completam de uma forma linda e tocante e a narrativa só melhor depois que ambos reconhecem a atração inegável e resolvem lidar com ela.

A história só melhora e o ápice chega sem perceber te trazendo um envolvimento enorme com a história. Problemas familiares, drogas, dependência de remédios, vazio, sexo casual, vida fácil, passado obscuro e muitos outros pontos são explorados na história. A autora conseguiu inserir tudo isso de uma forma bacana e bem desenvolvida dentro da história. Lila e Ethan são uma casal apaixonantes. Juntou ou sozinhos, eles tem as características certas pra te fazer afeiçoar. Apesar de parecer frágil, Lila tem uma certa força o que a faz te admirar e torcer para que os dois fiquem juntos. A autora te faz desejar alguém que cuide e se preocupe tanto como Ethan se preocupa com Lila e isso me cativou em vários momentos. As idas e voltas deles não incomodam nenhum pouco já que a autora foca em muitas outras cosias essenciais para o desenvolvimento. É apaixonante. Um livro que flui de uma maneira mágica, te faz suspirar, sentir arrepio e se emocionar. Dores reais, superação e ideia de que o amor cura as maiores feridas. EU AMEI! 
"Desde que conheci o Ethan é assim que ele se comporta comigo. Flerta o tempo todo, mas nunca toma uma atitude; ele me provoca, mas não vai até o fim."

"Há alguma coisa escondida dentro de Lila que ela tenta disfarçar com sexo. Eu percebo em seus olhos, às vezes, quando ela fica parada e em silêncio. Tristeza. Insegurança."

"Enquanto os dois tentavam se acertar, passei muito tempo com Ethan, e nós nos entendemos bem desde o começo. Houve uma espécie de conexão estranha entre nós, como se compreendêssemos um ao outro, apesar de virmos de mundos completamente separados: o rico e o pobre. "

"Mas Ethan tem um quê, e o mistério em seus olhos castanhos, as complexas tatuagens nos braços e o modo como aqueles cabelos pretos estão sempre espalhados por todo lado me fazem queimar de curiosidade. Parte de mim acha que talvez, só talvez, depois de sexo com Ethan, eu poderia finalmente sentir algo além (...)."

"Pisei na bola uma ou outra vez, quebrando a regra de não tocar que eu mesmo havia criado; porém, sempre me certifico de fazer parecer que foi algo casual, relembrando a mim mesmo que tenho regras a respeito de relacionamentos (...) "

Na superfície, Lila Summers é impecável: boa aparência, roupa cara e um grande e belo sorriso. Mas seu passado sombrio e seus segredos ainda mais escuros estão ameaçando acabar com sua fachada perfeita. Ela vai fazer de tudo para esconder o vazio dentro de si — o que a leva em situações que sempre acabam mal. Cada vez que ela chega ao fundo existe apenas uma pessoa que sempre está lá para pegá-la: Ethan Gregory.

Ethan estabeleceu regras há um tempo: Lila e ele são amigos. Ele não é um cara de relacionamentos. Embora sua aparência de bad boy tatuado esteja bem longe da imagem de princesa de Lila, Ethan não pode negar que entre eles existe uma conexão mais profunda do que ele está acostumado. Se ele não for cuidadoso, ele corre o risco de se apaixonar — e ele aprendeu da pior forma que se apaixonar só leva a desilusão.Quando Lila cai mais longe do que jamais caiu, Ethan continuará ajudando-a apenas como um amigo? Ou será que ele também está perto de cair... por ela?

É assim que sigo em frente sem você

Eu me lembro que alguma vez alguém me disse que eu tinha que tomar cuidado ao gostar de alguém. Tomar cuidado com o amor. Que nada, eu nem liguei pra isso. Pra mim seria como nos filmes, maravilhoso, romântico e cheio de emoções. Quanta ingenuidade. Certos momentos até tenho raiva desses filmes que não me canso de assistir. Então aconteceu. Eu me machuquei e pra caramba. Uma, duas, três, quatro..espera! Vou parar de contar se não posso levar o prêmio da pessoa que mais quebrou a cara. Dizem que tudo isso é aprendizado, pra se dar valor quando algo verdadeiro aparecer, o que acontece é que eu nem sei mais se o verdadeiro vem, se ele mesmo existe. Eu me afastei de mim mesma, tentei desesperadamente preencher o vazio com qualquer coisa que aparecesse. Você surgiu, jurando ser diferente. Parecendo ser diferente dos meus antigos machucados. Eu errei. Você acertou. Você foi forte. Eu fui fraca. Você foi esperto. Eu fui boba. Uma ilusão que você alimentou dizendo não ser ilusão. Desatenta, eu esqueci novamente. Descuidei de mim, do meu coração, da minha consciência. Perdi a sanidade e não vi nada demais nisso.Quebrei todas as regras, ignorei tudo que eu ouvi que errado fazer porque achei que por você era o certo. 
O papel de trouxa foi bem interpretado por mim. Tão bem feito que eu até poderia ganhar o prêmio de a maior trouxa dos tempos. Você diz que não é assim, que não foi assim. Eu te questiono, peço que me explique e tudo que recebo é um silêncio que não acaba, que não termina. E isso se repetia e repetia. Um erro, uma desculpa que eu dava pra mim mesma. Eu continuava acreditando que em algum momento tudo mudaria, mas nunca mudava. Então um pequeno detalhe me fez desmontar e parece que senti toda a minha consciência voltando a mim. Acabou de verdade. De verdade mesmo. Sem chances extras. Sem desculpas pra mim. Sem desculpas para os seus erros. Não há mais nada a dizer porque tudo já foi dito. Você me abandonou como se não fosse nada e voltou como se nada tivesse acontecendo. Você foi embora tão sem esforço como se fosse a coisa mais fácil do mundo e me fez me sentir mal sobre como sou. Que estupidez. 

Eu me culpei tanto. Percebi que estava em um jogo tarde demais e nem ao menos sabia as regras. Você ganhou então pode ir em frente e dizer o que quiser. Mas agora, me antecipei por você disse adeus. De verdade, mesmo com um pouco de dor. Eu conseguiria esquecer, conseguiria te tirar da minha mente.  Tudo que tínhamos se desfez aos poucos, só restou o pó. Se é que tínhamos alguma coisa. Deixar de gostar é difícil. Confiança quebrada, esperança por um fio e um coração desacreditado é assim que eu te deixo. É assim que eu sigo em frente.

Resenha de Livro: TRUE

Livro: TRUE
Autora: Erin McCarthy
Ano: 2015
Páginas: 266
Editora: Verus
Nota: 3 de 5

Eu esperava dar uma nota maior pra esse livro mas enfim alguns pontos me incomodaram na história. TRUE gira em torno de Rory uma garota de 20 anos que nunca passou a noite com nenhum cara. Quando as colegas de quarto de Rory descobrem que a garota ainda não teve nenhuma relação resolvem arranjar o descolado e tatuado Tyler para levar a garota pra cama. Rori é inteligente, dedicada aos estudos e completamente na sua diferente de suas amigas. Tyler é um cara que batalha por um futuro diferente enquanto lida com os problemas familiares. Ele sente que não é bom o bastante pra Rory e ela pensa o mesmo com relação a ele. Eles começam a se envolver casualmente e devagar enquanto os acontecimentos vão se desenrolando. Ai alguns segredos e empecilhos são colocados entre os personagens afim de testar seus sentimentos. 

Vou ser bem direta, esse livro tem uma premissa interessante apesar de ser um pouco clichê. Tyler é o típico cara experiente com um passado conturbado, fardo e problemas familiares. Rory é certinha, virgem e acaba se apaixonando por ele. Rory não me agradou muito desde o começo. Não consegui enxergar nada que me fizesse cativar com a mesa ou torcer por ela. O desenvolvimento da história foi muito rápido. Em um certo ponto senti como se a autora estivesse correndo pra que os acontecimentos desenrolassem e ela pudesse encerrar tudo. Tyler pra mim foi um pouco de surpresa já que eu imaginava certas atitudes dele e foi completamente diferente do que eu imaginava. Rory me pareceu muito insegura e inocente demais em diversas situações sem contar as atitudes de Tyler que não condiziam com o rumo que a história estava tomando. 

Do meio pro final, a história correu muito depressa. Eles se assumiram, alguns obstáculos, a família de Tyler e dai pra frente eu senti necessidade de que a autora parasse um pouco e desenvolvesse melhor algumas cenas. Não senti tanta química e atração entre o casal sendo assim não entendi parte do envolvimento dos dois. Algumas cenas rendem sim fofura e suspiros mas conforme a história vai se encaixando esperei mais de algo que não chegou. O que eu gostei foi que o título do livro tem um significado real embutido na história. True que em inglês é verdadeiro, separadamente significa algo pro personagem e achei isso bem tocante. Não teve um ápice e apesar de ter gostado da história e lido rápido, esperava muito mais de um romance. Senti falta da exploração dos obstáculos, da desenvoltura e da construção dos sentimentos dos mesmos. Enfim, o livro ão é ruim mas poderia ter sido melhor.

“- Rory - ele murmurou nos meus lábios - Meu Deus, como é bom te beijar. Por que você não quis falar comigo a semana toda? Eu estava ficando louco. - Ele me envolveu com os braços e me apertou contra o peito.”

"- Sou um Trouxa - ele me disse, com o rosto totalmente sério. Claro que ele era.
- Ah, é? Então você não recebeu a carta te convidando pra Hogwarts? Que droga."

“Eu não me considerava feia com F maiúsculo. Talvez um pouco sem graça, definitivamente quieta, mas de forma alguma repulsiva.”
- ... Nós dois vemos além do que as outras pessoas veem na gente. Nós dois sabemos que, às vezes, as melhores coisas estão embaixo da superfície. Quando eu olho pra você, vejo uma mulher fantasticamente inteligente, divertida, generosa e linda. Sabia disso? - Tyler.
- Não.
- É verdade.
... Então eu percebi que estava completamente apaixonada por ele.”




Quando as colegas de quarto de Rory descobrem que a tímida e estudiosa garota nunca passou uma noite com um homem, decidem que vão ajudá-la a perder a virgindade contratando o confiante e tatuado Tyler para fazer o serviço, porém sem o conhecimento dela. Tyler sabe que não é bom o bastante para Rory. Ela é brilhante, enquanto ele está lutando para se formar na faculdade e conseguir um emprego, para, então, poder tirar seus irmãos mais novos da mãe drogada. Mas ele acaba aceitando a proposta, pelo menos como uma oportunidade de conhecer Rory melhor. Há algo nela que o intriga e o faz querer ficar por perto mesmo sabendo que não deveria. Divididos entre o bom senso e o desejo, os dois se veem envolvidos em uma relação apaixonada. Mas, quando a família desajustada de Tyler ameaça destruir seu futuro assim como o dela , Rory precisa decidir se vai cortar os laços com o perigoso mundo do namorado ou se vai seguir seu coração, não importa o preço a pagar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Voando Sozinha | Cybelle Santos © Todos os direitos reservados.